Arquivo do blog

poradmin

Treinamentos

Realizamos todos os treinamentos exigidos pela NR – Normas Regulamentadoras do MTE, podendo ser realizadas In-Company, na sede da SafeWork ou ainda nas associações comerciais parceiras.

treinamentos360px

Principais serviços

A Comissão Interna de Prevenção a Acidentes é composta de representantes do empregador e dos empregados, de acordo com o dimensionamento previsto no Quadro I da NR 5, ressalvadas as alterações disciplinadas em atos normativos para setores econômicos específicos.

Tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar compatível permanentemente o trabalho com a preservação da vida e a promoção da saúde do trabalhador.

Segundo a NR 06, considera-se Equipamento de Proteção Individual -EPI, todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado à proteção de riscos suscetíveis.

O objetivo principal deste treinamento é conscientizar o funcionário do uso correto e conservação dos equipamentos de uso individual (E.P.I’s) para a finalidade que se destina.

O treinamento tem a finalidade de capacitar o profissional atendendo ao currículo exigido pelo Ministério do Trabalho e Emprego e fiscalizado pelas Delegacias Regionais do Trabalho.

O intuito é desenvolver as habilidades de socorrista através do aprendizado teórico e prático das técnicas utilizadas para o pronto atendimento às vítimas de acidentes de qualquer natureza.

O treinamento tem por objetivo elencar os requisitos e condições mínimas para a implementação de medidas de controle e sistemas preventivos, de forma a garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores que, direta ou indiretamente, interajam em instalações elétricas e serviços com eletricidade.

O Treinamento tem por objetivo fazer com que todo funcionário que trabalhe com elevadores, guindastes, transportadores industriais e máquinas transportadoras.

Participe de treinamento específico, dado pela empresa, que o habilitará a realizar esse trabalho de forma segura e eficiente uniformizando procedimentos para inspeção, manutenção e conservação destes equipamentos.

Contempla essa Norma Regulamentadora os treinamentos de: Ponte Rolante, Operador de Empilhadeira, Operador de Guindaste, Operador de Guindauto e Operador de Caminhão Munck.

Os acidentes envolvendo máquinas representam, sem dúvida um risco enorme à vida do operador e de todos a sua volta. Por esta razão é imprescindível a capacitação deste profissional na operação de máquinas e na execução da atividade labora. Qualquer descuido ou falta de conhecimento operacional pode colocar em risco inúmeras vidas.

Capacitar o operador na execução de suas atividades e na operação de máquinas, como verificar os equipamentos e demonstrar as habilidades necessárias para uma operação segura, precisa e eficiente.

O curso de Segurança na Operação de Caldeiras tem por objetivo sensibilizar os operadores de caldeira quanto a necessidade de neutralizar ao máximo a possibilidade de provocar acidentes, com adoção de procedimentos de rotina pautadas pelas normas de segurança.

Apresentar Regulamentação de Segurança – NR13 – para a operação de vasos de pressão e caldeiras. Conhecimentos sobre os requisitos da norma, com vistas à implementação de ações para a adequação das empresas à NR-13, bem como, das suas últimas alterações.

Esta Norma Regulamentadora visa a estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente.

As condições de trabalho incluem aspectos relacionados ao levantamento, transporte e descarga de materiais, ao mobiliário, aos equipamentos e às condições ambientais do posto de trabalho e à própria organização do trabalho.

Para avaliar a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, cabe ao empregador realizar a análise ergonômica do trabalho, devendo a mesma abordar, no mínimo, as condições de trabalho, conforme estabelecido nesta Norma Regulamentadora. A SafeWork elabora e presta treinamento ergonômico para a área de atuação desejada.

Capacitar os funcionários da empresa a desempenhar a função de Brigadista de Incêndio dentro da técnica, de acordo com o previsto na NBR 14 276. Informar aos responsáveis pela segurança do trabalho e segurança patrimonial da empresa sobre a formação de brigada de incêndio.

Capacitar profissionais do Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT) para coordenação dos trabalhos em espaços confinados de acordo com a NR33 – Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados e NBR 14787 – Prevenção de Acidentes, Procedimentos e Medidas de Proteção.

O treinamento em altura tem como objetivo proporcionar aos supervisores e técnicos os conhecimentos necessários para que possam aumentar as condições de segurança no desenvolvimento dos trabalhos que são realizados em alturas.

Capacitar os profissionais funcionários da empresa a desempenhar as suas funções laborais em alturas superiores a 2m, de acordo com o previsto na NR 18, visando a garantir a execução de suas atividades com segurança, técnicas de progressão, utilização dos Equipamentos de Proteção Individual e Técnicas de resgate.

A SafeWork realiza diversas palestras com temas variados nas mais diversas áreas. São geralmente realizadas por profissionais de diversas áreas; dentre as mais comuns são: psicólogos, psicoterapeutas, profissionais de RH com longa data de experiência, entre os mais diversos profissionais que lidam com o cotidiano de trabalho nas empresas e compreendem as singularidades das necessidades de cada trabalhador.

poradmin

Segurança do Trabalho

Segurança do Trabalho é um conjunto de atitudes e medidas adotadas com o objetivo de reduzir ou minimizar os acidentes de trabalho, bem como proteger e assegurar a integridade do trabalhador.

A SafeWork, possui uma equipe especializada para auxiliar sua empresa na adequação das condições de trabalho, visando a prevenção de acidentes e doenças ocupacionais.

segurança360px

Principais serviços

O PPRA (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais) é um programa que tem a finalidade de prevenir diversos tipos de riscos ambientais, assegurando a saúde dos colaboradores perante a exposição dos agentes contaminadores, como: biológicos, químicos, físicos e ergonômicos.
Torna-se obrigatório através da Norma Regulamentadora – NR09 e do Ministério do Trabalho a todas as empresas que possuem a partir de 1 funcionário (empregado ou celetista).

O PCMAT (Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção Civil) atende as exigências da NR18 e da CLT, que estabelecem medidas preventivas nas indústrias da construção relacionado a acidentes de trabalho e eventuais doenças ocupacionais. A obrigatoriedade da sua elaboração se dá em construções que possuem a partir de 20 trabalhadores.

O LTCAT (Laudo Técnico das Condições Ambientais do Trabalho) não é elaborado com o intuito de documentar a existência ou não de insalubridade e periculosidade no ambiente de trabalho. Serve exclusivamente para apresentar a necessidade ou não de aposentadoria especial. O INSS é o responsável por avaliar a causa da aposentadoria especial. Se existir suspeita de que o ambiente contém agentes nocivos que justifiquem o pagamento de aposentadoria especial é hora de elaborar o LTCAT. De acordo com o § 1o do art. 58 da Lei 8213/91, com a redação dada pela Lei 9732/98, o Laudo é expedido por Médico do Trabalho ou Engenheiro de Segurança do Trabalho nos termos da legislação trabalhista

O Laudo de Insalubridade visa determinar a exposição dos trabalhadores a atividades que os exponham a riscos ocupacionais (químicos, físicos e biológicos) que sejam agressivos a saúde em cada ocupação, determinando a existência ou não de insalubridade nas atividades desenvolvidas na empresa.

Do ponto de vista da insalubridade para que o ambiente de trabalho seja considerado insalubre é preciso que: 1 – O trabalhador esteja trabalhando em ambiente exposto a algum agente agressivo a saúde. 2 – Que exista previsão legal para o pagamento de insalubridade devido a exposição a tal agente agressivo na NR 15. 3 – Que a exposição a tal agente de risco esteja acima do limite de tolerância (se houver limite de tolerância) previsto na NR 15 e seus anexos.

O Laudo de Periculosidade é o documento técnico-legal que estabelece se os empregados da empresa têm ou não direito ao recebimento do adicional de periculosidade (30% do salário-base do emprego) em virtude da exposição aos riscos como: explosivos; inflamáveis; eletricidade; radiação ionizante. O Laudo relaciona atividades e operações consideradas perigosas pelo uso de explosivos e líquidos inflamáveis e substâncias radioativas e radiações ionizantes; Determina os locais de armazenagem de explosivos considerados ‘área de risco’; As quantidades de explosivo, em quilo, segundo o seu tipo, a serem armazenadas em relação à área do terreno onde for instalado o armazém; Determina o adicional de periculosidade a que os trabalhadores dessas atividades e operações têm direito de receber, acrescido ao seu salário. Considerando as legislações específicas e as proteções fornecidas pela Empresa. Após a visita de um profissional habilitado, a Empresa, receberá um documento, contendo as conclusões em relação à exposição dos trabalhadores aos agentes nocivos (causadores de periculosidade), bem como alternativas técnicas para evitar o pagamento dos adicionais de insalubridade, quando for o caso.

Fundamento Legal: NR no 16, 19 e 20; Decreto 93.412, de 14/10/1986.

O laudo ergonômico visa estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho dos funcionários às suas características fisiológicas, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e produtividade. Ele avalia as condições organizacionais do trabalho (pressão por metas, organização das atividades, frustração com metas divergentes, entre outros), as condições ambientais (temperatura, vento, luminosidade, ruído e umidade do ar) e as condições físicas do posto de trabalho (biomecânica corporal envolvida no desempenho da tarefa, postura, dimensionamento dos equipamentos e mobiliários, entre outros).

O PPP deve ser preenchido para a comprovação da efetiva exposição dos empregados a agentes nocivos, para o conhecimento de todos os ambientes e para o controle da saúde ocupacional de todos os trabalhadores. As cooperativas de produção, em que seus cooperados no exercício das atividades sejam expostos a condições especiais, deverão elaborar o PPP dos cooperados conforme a Instrução Normativa/INSS/DC no 087, de 27 de março de 2003. O PPP das cooperativas de trabalho será elaborado com base nas informações fornecidas pela empresa contratante. É necessário o preenchimento do PPP, pelas empresas, para todos os empregados. De acordo com a Instrução Normativa/INSS/DC no 99 de 05/12/2003, após a implantação do PPP em meio magnético, pela Previdência Social, esse documento será exigido para todos os segurados, independentemente do ramo de atividade da empresa e da exposição a agentes nocivos. A comprovação da efetiva exposição a agentes nocivos será feita mediante formulário próprio do INSS, o Perfil Profissiográfico Previdenciário, que será preenchido pela empresa ou seu preposto com base em Laudo Técnico de Condições Ambientais do Trabalho (LTCAT) expedido por médico do trabalho ou engenheiro de segurança do trabalho, para fins de comprovação da exposição a agentes nocivos prejudiciais à saúde ou à integridade física. Quando houver o desligamento do empregado, a empresa é obrigada a fornecer uma cópia autêntica do PPP ao trabalhador, sob pena de multa, caso não o faça.

O prontuário da instalação é uma série de documentos técnicos e relatórios de segurança das atividades do estabelecimento, que tem o objetivo de identificar quais são as etapas de operação do posto. Todas as informações técnicas pertinentes às instalações, geradas desde a fase de projeto, operação, inspeção e manutenção, devem ser registradas e armazenadas nesse prontuário, gerando assim o histórico da instalação dos postos de abastecimento. O prontuário deverá conter um índice e ser constituído em documento único, disponível às autoridades competentes, bem como para consulta aos trabalhadores e seus representantes. Este prontuário deverá ser organizado, mantido e atualizado pelo empregador e constituído pela seguinte documentação: a) Projeto da instalação; b) Procedimentos operacionais; c) Plano de inspeção e manutenção; d) Análise de riscos; e) Plano de prevenção e controle de vazamentos, derramamentos, incêndios, explosões e identificação das fontes de emissões fugitivas; f) Certificados de capacitação dos trabalhadores; g) Análise de acidentes; h) Plano de resposta a emergências.

poradmin

Medicina do Trabalho

Investir em ações preventivas beneficia tanto o trabalhador como o empregador que acaba reduzindo seus custos com afastamentos, licenças médicas, tributos com a contribuição para o custeio de aposentadoria especial e demandas judiciais.

A SafeWork realiza todos os exames em um local só, com hora marcada para o atendimento, otimizando o tempo do funcionário despendido na clínica, aumentando a produtividade da sua empresa.

Exames Admissionais, Demissionais, Periódicos, em Londrina, Francisco Beltrão, Toledo, Foz do Iguaçu, Medianeira e Santa Helena.

medicina360px

Principais serviços

O PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional) é um programa que tem a finalidade de especificar as ações, consultas médicas e exames necessários para a prevenção e acompanhamento de doenças relacionadas ao ambiente de trabalho, assegurando a saúde do colaborador.

Torna-se obrigatório através da Norma Regulamentadora NR07 a todas as empresas que possuem a partir de 1 funcionário (empregado ou celetista). Quando não elaborado ou executado devidamente, a empresa poderá sofrer sanções criminais e civil pelos Auditores Fiscais do Trabalho em eventuais fiscalizações.

O ASO (Atestado de Saúde Ocupacional) é um dos documentos mais importantes que integram o PCMSO, assim, o indicado é realiza-lo a partir da elaboração do programa, e não de forma avulsa.

O colaborador deverá realizar o ASO nas seguintes situações: Admissionais, Demissionais, Retorno ao Trabalho, Mudança de Função e Periódicos, na forma prevista em Lei.

O ASO é um atestado que define se o colaborador está apto ou inapto para determinada função, através de exames complementares, que irão variar conforme o risco descriminado no PPRA para cada função existente na empresa.

É um documento de extrema importância, pois resulta em redução do absenteísmo motivado por doenças, redução de acidentes, consequentemente melhora o desempenho da função e minimiza as chances de arbitrariedades por motivo de doenças e acidentes.

Os atendimentos in company levam nossas clínicas aos nossos clientes, otimizando o tempo dos funcionários.

O conforto dos atendimentos in company é um diferencial da SafeWork. Realizamos consultas de saúde ocupacional, como exames de audiometria, acuidade visual, espirometria, eletroencefalograma, eletrocardiograma, entre outros, diretamente no nosso cliente. A agilidade e a facilidade desses atendimentos promovem a saúde no ambiente do trabalho, garantindo sempre a melhor qualidade de vida aos colaboradores.

São exames que integram o ASO (Atestado de Saúde Ocupacional) com o intuito de atender as medidas propostas no PCMSO e prevenir a saúde do colaborador. Os exames variam conforme a função e necessidade do funcionário, podendo ser: Acuidade Visual, Audiometria, Eletrocardiograma, Eletroencefalograma, Espirometria, Exame Clínico, Raio X e/ou Exames Laboratoriais.

O PCA (Programa de Conservação Auditiva) é um conjunto de medidas técnicas simplificadas ou administrativas, distribuídas e mantidas ao longo do tempo, que agindo de forma integrada e complementar entre si, pode servir de substituto temporário a modernização tecnológica e melhoria das condições de trabalho como um todo. O fonoaudiólogo exerce um papel importante em decorrência do contato individual com o trabalhador, realizando avaliação auditiva (audiometria), informado a eficácia do programa, bem como dando esclarecimentos sobre os efeitos do ruído e as formas de prevenção, e principalmente o uso do EPI ou EPC.

Exame Admissional Londrina
Exame Admissional Medianeira
Exame Admissional Foz do Iguaçu
Exame Admissional Toledo
Exame Ocupacional Medianeira
Exame Ocupacional Toledo
SafeWork Medianeira
SafeWork Toledo
SafeWork Londrina
Medicina do Trabalho londrina
Medicina do Trabalho Medianeira
Medicina do Trabalho Foz do Iguaçu
Medicina do Trabalho Toledo
Elaboração do PPRA Toledo
Elaboração do PPRA Londrina
E-Social
Gestão de SST
Gestão de Medicina Ocupacional

poradmin

Engenharia Ambiental

A SafeWork assume o compromisso e corresponsabilidade socioambiental, associados a prática industrial, contribui para a efetiva racionalização da produção de seus clientes e parceiros, atendendo as necessidades do mercado sem comprometer a integridade do meio-ambiente e das pessoas no futuro.

engenharia360px

Principais serviços

Todas as atividades, produtos e serviços devem ser analisados considerando os aspectos e impactos ambientais relacionados, bem como os prováveis incidentes e situações de emergência. Porém, recomenda-se que os procedimentos adotados e os resultados obtidos sejam documentados, permitindo assim, identificar as oportunidades de desenvolvimento deste sistema.

A identificação dos aspectos e impactos ambientais deve considerar àqueles referentes às emissões atmosféricas, o lançamento em corpos de água, a contaminação do solo, os resíduos sólidos, etc.

A definição de critérios que permitam avaliar quais os aspectos que provocam maior impacto, bem como uma forma de hierarquização dos mesmos, auxilia posteriormente na implantação do Sistema de Gerenciamento Ambiental e na determinação das ações a serem tomadas como prioridade.

O Plano de Controle Ambiental – PCA é o conjunto de programas ambientais que formata as medidas identificadas e destinadas a prevenção, correção ou compensação dos impactos ambientais negativos, e posteriormente, identifica, avalia e potencializa os impactos positivos.

O PCA reúne em programas específicos todas as ações, medidas minimizadoras, compensatórias e potencializadoras aos impactos ambientais identificados na empresa ou indústria.

O objetivo do plano de controle é incorporar nas atividades construtivas, o fator ambiental, minimizando os impactos detectados nos estudos ambientais, orientando a adoção de medidas cabíveis se surgirem situações de novos impactos não previstos.

O programa visa, portanto: Atender os problemas ambientais decorrentes da execução das obras, durante a etapa de instalação do empreendimento; Fornecer elementos técnicos e legais para viabilizar as obras com o menor dano ambiental possível;

Fornecer aos empreiteiros os critérios ambientais a serem respeitados durante as etapas de construção e, de modo geral, aos trabalhadores envolvidos, normas para uma conduta ambiental correta.

Os resíduos sólidos podem ser classificados como: industriais, urbanos, de serviço de saúde, de portos e aeroportos, de terminais rodoviários e ferroviários, agrícola e entulho. O controle de resíduos sólidos consiste em um tratamento realizado com o objetivo de descartar corretamente os resíduos gerados no processo produtivo de uma empresa ou indústria.

Para que a empresa possa dar destinação adequada aos resíduos gerados, em conformidade com padrões legais, e legislação vigente (Lei 12.305/10 Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS), além da possibilidade de otimização dos processos através do reuso e/ou reaproveitamento dos resíduos.

A SafeWork através de fichas, check-list e documentação faz o controle dos resíduos industriais.